sábado, 19 de novembro de 2011

A viagem dos sonhos: Gramado e Serras Gaúchas.


Esta viagem foi idealizada após eu chegar de Buenos Aires. Já falei aqui que amei a minha ida a Buenos Aires e que só não foi melhor porque foram apenas 4 dias.
Antes de parir, eu não priorizava viajar, pois eu não tinha grana o suficiente pra freqüentar hotéis legais, então quando ia pra algum lugar, era o que eu podia pagar e tal. Era bom, mas não divino como tem sido.
Com filhos, vc não pode ir pra qualquer lugar, o que exige planejamento e organização.
Enfim, desde que Gui nasceu já fizemos alguns bons passeios: Aracaju, Recife, Fortaleza, Crato (CE), hotel fazenda em Mutá (BA), Porto Alegre e Gramado e sozinha, Buenos Aires. Decidi que vou fazer duas boas viagens por ano: uma nacional e outra internacional. Ano que vem será Fortaleza, Canoa Quebrada e Jericoacoara e Europa. Economizar é a palavra de ordem.

Quanto à Gramado, chegamos no dia 29/10 em Porto Alegre, entramos na van para Gramado. Quando entramos no hotel, pensei: "existe ar condicionado central! Vou sugerir a Jacques Wagner conseguir um pra Bahia”. E eu de vestidão, tão a la primavera na Bahia... Amei.
Hotel maravilhoso. Restaurantes excelentes. Tudo muito especial.
Após deixar as malas, fomos procurar algo pra comer e logo de cara uma coisa típica da região: sopa de capeletti! kkkk a senha para as risadas dos próximos 5 dias. E não é que acabei me acostumando??
No 1º dia, fomos ao Mini Mundo. Ai, meu Deus, que coisa mais fofa!! Adorei esse lugar. Gui e Júlia ficaram enlouquecidos!
No 2º dia, fomos conhecer o roteiro Gramado/Canela: Lago Negro, Museu de Cera, Catedral de Pedra, Cascata do Parque Caracol e Mundo a Vapor. Tudo ótimo!
O 3º dia foi livre: passeamos pelo centro de Gramado fomos, vimos a rua coberta, onde acontece o festival de Gramado, a igreja no centro da cidade, as avenidas gostosas demais de passear e de tarde, que delícia! A aldeia de papai noel. Se é possível escolher o melhor lugar foi esse.
No 4º dia conhecemos o show-room da tramontina e alguns lugares bem de consumo, mas achei quase tudo caro. A tarde fomos em Nova Petrópolis, um lugar tão lindo! Visitamos a praça das flores, ao parque aldeia dos imigrantes, a aldeia histórica alemã. Melhor pra comprar que Gramado. Super volto!!!
No 5º dia fomos ao Vale dos Vinhedos: conhecemos a Vinícola Miolo e a tarde fomos a Bento Gonçalves pra conhecer o trem Maria Fumaça. Amei. Voltei no tempo. Muito legal e a vista é soberba. Nas paradas do trem, nós bebemos vinho e ouvimos musicas típicas da região.
Nas noites, nós nos aventuramos nas baladas gastronômicas e nas oportunidades oferecidas pela cidade. Fomos em dois espetáculos do Natal Luz levando apenas 1 quilo de alimento por pessoa. Vimos a “fantástica fábrica de presentes” e o “grande desfile de natal”. Nunca passei tanto frio na vida. Roupa e nada é a mesma coisa. Parece que vc não está com duzentas peças de roupa e luva e cachecol e touca e tudo o mais. Mas agüente que vale a pena.
Fiquei triste por um motivo: perdemos Nativitaten. Ninguém no hotel nos informou que na nossa 1ª noite iria rolar o ensaio ... Enfim, outros virão e nós vamos.
A primeira “balada” gastronômica: Galeteria Nonna Tena (não gostei de quase nada), seqüência de fondue no Petit Maison (no word! Deus tava namorando quando fez essa delícia). Rodo Pizzaria! Pizza de chocolate é o que há! Meodeos! Café Colonial Bela Vista, pastel de carne e coca cola, chocolate quente no meio da rua, rodízio de pizza na Pizzaria Seur, mesmo dono da Pizzaria do Pirata. E milhares de outras delícias. Sem contar o café da manhã do hotel que já é quase um café colonial.
Eu não posso deixar de falar de um serviço que os gramadenses oferecem que me deixou maravilhada: os restaurantes vão te pegar e te deixar no hotel. Vc não gasta com táxi quando vai sair p comer! Achei maravilhoso! E a conta não aumenta por isso (mesmo porque ela já é alta! rs)
Posso garantir: Gramado vale a pena: o preço, os quilos a mais, os passeios, o cansaço ... Voltarei. Ai, ai, queria ir de casalzinho... Várias pessoas em lua-de-mel. Romântico até a alma. E claro, volto pra conhecer as baladas que eu soube que são divinas.
Leve muita grana, pois é um passeio caro e não é pra todos os bolsos como li em alguns lugares. É bom se planejar bem antes.
Quanto a Porto Alegre, ficamos no centro e não deu pra ver a Porto Alegre rica. Volto também, pois não fui na Centro Cultural Mario Quintana e quero fazer os dois passeios de ônibus turísticos e o de barco no Rio Guaíra. Volto mil vezes no Museu de Tecnologia da PUC e na churrascaria que tem show de danças típicas. Não volto na Usina do Gasômetro enm ao hotel que fiquei. Volto em um hotel quatro ou cinco estrelas.

Só me lamento de uma coisa: por que não levei a minha bota argentina e/ou uma sapatilha? Comprei uma em POA. Relíquia.

Nenhum comentário: