quinta-feira, 31 de março de 2011

Tem uns 13 meses que eu fui em uma cartomante. Abafa. Sei que não é nada legal colocar sua sorte nas mãos de uma pessoa desconhecida, mas vou responder o óbvio do óbvio: "estava precisando de respostas pra minha vida". Oi? Quer lugar mais comum que esse? Na verdade, eu queria saber se eu iria me apaixonar perdidamente por alguém, pois já tinha tempo que eu estava desencantada em relação aos homens.
Ela disse que era psicóloga junguiana (sic), usou um baralho egípcio, a consulta durou uma hora e poderia ser gravada. Não gravei, mas lembro de tudo.
Inicialmente, ela traçou um plano geral de minha vida e acertou tudo, pois já tinha passado. Ela acertou tudo que já tinha acontecido, mas não foi capaz de prever uma coisa sequer do futuro. Minha irmã falou que cada vez que uma pessoa põe as cartas pra vc tem validade de um ano. Eu não sabia disso. Mas neste um ano ela deixou de prever coisas muito importantes como:
- uma "amiga" (da onça) que eu gentilmente abriguei em minha casa e quase me bateu quando eu pedi pra sair após ... quase 90 dias!
- sobre dois canalhas que eu me envolvi e que me decepcionaram.
- sobre o baque que foi perder a minha equipe de trabalho de cinco maravilhosos anos de uma maneira tão mesquinha.
- sobre a minha mudança de setor e como eu iria estar satisfeita com minha nova atribuição;
- sobre minhas crisas com meu filho;
- sobre minha perda financeira.

Ela falou que eu seria uma atleta, então eu fiquei na natação mais tempo do que eu deveria e aturei por quase seis meses uma treinadora pancada que não entendia como eu não conseguia nadar de uma ponta a outra do Porto da Barra três vezes;
Ela disse que eu iria conhecer um homem que a maior cartacterística era "ajudar o outro". Fico me perguntando o quão específico é essa qualidade... mas esse não é o grande amor da minha vida. "Um amor que eu ainda não tive a oportunidade de conhecer" (sic). Esse amor imenso é pra daqui a 4 anos. Lila, aguarde e confie que neste opnto ela vai estar certa!
Disse que eu tenho uma saúde de ferro, mas aos 50 anos eu teria um probleminha de saúde fácil de se resolver.
De tudo o que ela disse uma coisa eu amei: vou vai ter tanto dinheiro, mas tanto que será difiícil pra gastar (ela não deve saber o poder de um visa internacional, tadinha). Disse que eu iria dar certo em minha profissão nova (a psicologia, mas eu sequer citei), que uma mulher mais experiente iria abrir minhas portas e que eu iria usar de muita criatividade nesta área e que eu seria uma pessoa muito conhecida e bem sucedida. Uau! Tomara Deus que ela esteja certíssima. Não é possível ganhar essa fortuna em uma ano. Vou colocar no mesmo prazo do meu grande amor.
Saúde, amor e dinheiro. Pra que mais?

2 comentários:

Lélia Maria disse...

faz a tua parte, o resto virá. e esquece esta taróloga!!!!!

S. disse...

passado, presente e futuro?
como diz a poeta: meu tempo é quando!
beijinhos