sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Que semaninha dificíl, hein? Custou a passar, mas no final deu tudo super certo. Quarta, eu perdi a minha manhã em um tabelionado pra autenticar um documento que incusive não era pra mim (oi?) e pior, não consegui, pois o sistema caiu e eu coloquei a minha RAIVA no saco e fui embora atrasada, com tudo me esperando. Paguei três horas de estacionamento, peguei um engarrafamento daqueles e ainda tive que ficar 40 minutos na entrada da garagem que eu estaciono no trabalho esperando surgir uma vaga. Fiz uma coisa que há muito tempo eu não fazia: chorei de raiva. Literalmente. E estava de rímel. Foi um horror ter que subir com mais raiva ainda, lavar o rosto e questionar a mim mesma "cadê a pessoa amorosa que habita em vc?" " não era vc que iria amar sem olhar a quem?". "E aí? Brochou logo de primeira?", entre outra coisas agradáveis de se pensar. Pra terminar de completar, eu moro no miolo da festa de Iemanjá e peguei 2:30h de engarrafamento pra chegar em casa no final de um dia de m*.
Mas no outro dia resolvi perder esse mesmo tempo com uma revista e fui. Cheguei umas 07:30h e fiquei até 12:50h esperando a minha vez, pacientemente, pois quando vc está no inferno abraça o capeta e pronto. Enfim, é bom vc se testar pra ver até onde vai o seu amor pelo outro, até onde vai o seu amor próprio e até onde vai o amor do outro por vc. Saí de lá achando que acertei na loto e pronto. Feliz da vida por ter dedicado 2 manhãs da minha vida ao outro. Ponto. Assunto encerrado.
Deus se manifesta nas pequenas coisas. Eu já falei aqui que mudei de setor? Pois é, mudei e chegando lá deparei com um computador que tinha sido refugo do Banco do Brasil há 10 anos. Ele leva uns 20 minutos para ligar. Juro. Cheguei (ainda bufando de raiva) e tinha em minha mesa um computador novinho, tela fininha e mil vezes melhor do que eu tinha no meu antigo setor (o melhor do local).
E não terminou aí as minhas bençãos: fui chamada por uma colega de faculdade pra atender em uma clínica que ela já trabalha, consegui marcar um pacote de tratamento que eu comprei no peixe urbano e eu já dava como perdido, consegui terminar as 5 temporadas de Dexter, consegui estudar 4 textos, comi 2 pasteis (foi mal) ... consegui acabar com todos os itens penentes em minha agenda! Isso não é pouca coisa.
Sei lá, precisei chorar de raiva em um dia pra poder ver a beleza das coisas no outro.
Parafraseando Patricia, essa é minha vida, Brasil.

2 comentários:

Lélia Maria disse...

é massa valorizar o bem que acontece com a gente, mais massa ainda é dominar o mal que brota da gente. parabéns, baby.

lmssp disse...

ainda bem q acontceram coias boas... e sei q o documentinho era para mim. foi mal...

da prox vez eu n invento