quinta-feira, 10 de junho de 2010

Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...

(Clarice Lispector)


Leia agora de baixo para cima. O amor é mesmo essa ambivalência, né? Só Clarice consegue colocar no papel o que nós sentimos com todas as nossas entranhas.