sábado, 10 de abril de 2010

Essa noite eu tive um sonho que me fez pensar na loucura que está o tempo e principalmente em qual grau deve estar o desamparo e a angústia do pessoal que fica literalmente à deriva e a espera que as chuvas dêem uma trégua. Aqui em SSA também está chovendo horrores, há deslizamento de terra, desabrigados, engarrafamento, e outros perrengues, mas uma notícia num jornal local me chamou a atenção e foi usado como resto diurno pra meu sonho: “Eu sou você amanhã”, em referência à calamidade pública que o Rio está vivendo e no que pode se transformar SSA...
Todos os soteropolitanos sabem que basta chover trinta minutos e o caos se instala: engarrafamento, transbordamento de esgoto, lixo cobrindo bocas de lobo, água se escoar, muros e casas desabam. Enfim, a cidade derrete mesmo.
Choveu dois duas e duas noite e os reflexos são vistos em toda parte, mas nada comparados aos 200 mortos no Rio. E sabe o que é (bem) pior? É que a culpa é nossa, do povo. 1º porque não sabemos eleger políticos decentes que realmente se engajem em causas sociais de primeira necessidade e em intraestrutura e 2º porque não somos um povo educado que joga seus lixos nas ruas e ajudam a entupir os bueiros.
To revoltada sim e com muita raiva, principalmente porque não vejo perspectiva de mudanças nem a longo prazo. Fico tão triste comigo por não ser otimista a respeito de nosso país. Fico triste por não ter opção nenhuma pra votar em presidente e mais triste ainda por acreditar que quem quer que ganhe as eleições não fará a menor diferença.

Nenhum comentário: