segunda-feira, 8 de março de 2010

Ê semaninha difícil foi a passada, hein? Quase que não passa... Ufa. Eparrei oyá!!! Que Deus continue me abençoando! A benção, meu pai! Quáquáquá. Sai olho gordo de uma figa! Vai ser estrela na vida, vai, santa! Sai do meu pé, chulé!
É engraçado eu fazendo um chamado a Iansã, pois sou católica do tipo que reza até por uma folha que cai, mas como é o dia da mulher (quáquáquá), eu vou saudar Iansã em homenagem aos meus cabelos vermelhos.
Enfim, aqui estou eu novamente imersa em minha vida, em meus problemas só meus, em minhas desilusões, em meus sonhos, devaneios e quase realidades.
Hoje eu tive supervisão dos meus casos clínicos e conversando com minha orientadora sobre a prática psicanalítica fora dos muros da faculdade e como ganhar dinheiro com a clínica, ela me deu uma ótima ideia que vou amadurecer com carinho e depois eu posto aqui (pra se tornar realidade!!!).
Tomei uma decisão tão importante que nem estou acreditando. Alguns dos meus colegas de trabalho vinham me falando da possibilidade de eu fazer um curso de cálculo e trabalhar como calculista. Nunca levei a sério, pois achava uó trabalhar em casa, sem ver gente, sem participar do dia a dia do trabalho, sem me arrumar pra sair, sem almoçar no natural, etc., etc., etc.
MAS agora a realidade é outra: eu vou me formar daqui a alguns meses e preciso de tempo pra clinicar. É incrível como as coisas acontecem em nossas vidas e se nós não estamos atentos, a coisa escorre pelos dedos e depois reclamamos que a vida (pra mim é Deus mesmo) não nos sinalizou... Explico: na última vez que fui pra análise eu falei da minha insatisfação com o ritmo do trabalho em uma repartição, de que eu não suporto mais fazer as coisas e não sentir que o trabalho ande e se encaminhe... Falei que não suporto mais atnder o balcão, uma coisa que eu amava. Falei da possibilidade de trabalhar em outro setor que eu não precise trabalhar com processos e da possibilidade de trabalhar no setor de psicologia lá do órgão que eu trabalho.
Falei e não fui reforçada.
Falei e me ouvi. O mais importante de se fazer análise (pra mim) é isso: a possobilidade de se ouvir falando. Ouvi, pensei, prestei atenção nos sinais e percebi que o Tribunal vai oferecer um curso de cálculo agora em abril. Na hora é óbvio que eu ainda estava ponderando a possibilidade de ainda trabalhar com a pscologia lá mesmo,  mas após ponderar, ouvir minha orientadora e conversar com a minha família, eu percebi que o melhor mesmo é eu desvencilhar as coisas: o Tribunal eu trabalho na minha área fim e na clínica eu trabalho com a psicologia, quiçá a psicanálise.
Ai, ai, tá tudo indo tão bem na minha vida.... Já traçei vários planos que vou postando a medida que forem tomando forma.

Falando em forma, perdi 1Kg e elaborei um plano de emagrecimento já. Posto depois.

Um comentário:

Lélia Maria disse...

é isso aí. a vida vai acontecendo à medida a gente vai vivendo. mas é preciso estar atento e forte. te amo!