terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Cheguei de Pernambuco com um gostinho de quero mais. Fomos pra Recife, Jaboatão, Olinda e Porto de Galinhas. Muito bom mesmo. Ane, vc tá uma fofa de calça em Olinda! Foi fantasiada de vc mesma, ora!
Já saí de Salvador com uma TPM daquelas e minhas amigas tiveram que me suportar, pois eu estava muito, mas muito chata a ponto de minha irmã dizer que eu sabia ser bastante chata quando eu queria.
Essa viagem foi uma pancada em meu ego, pois eu esperava sair durante o dia com Gui e varar a noite na rua com as meninas. Como assim? que horas eu iria dormir já que Gui acorda every day às cinco da matina? Quem iria tomar conta de Gui durante a noite? Parece até que eu tinha minha ex-sogrinha linda delivery pra eu contar até em Recife.
Enfim, após longos 57 minutos de choro no celular com Léa em Feira de Santana (me custou uma nota, R$93,00), eu pude perceber que se tratava de um aprendizado ser mãe e ser foliã nesta viagem e relaxei a ponto de dispensar sair uma noite que me fora ofertada de bom grado. Evoluí tanto que o Carnaval tá comendo no centro aqui em Salvador e eu preferi ficar em casa vendo Lost.
Pensei e ponderei o seguinte: o que eu iria ganhar em ir pra rua no último dia se a galera já tá em água duríssima há quase uma semana? E como eu voltaria pra casa? Andando?  Nem morta.
Confesso que já tô ficando velha e não estou vendo tanta graça assim em sair por sair. Pintou uma vontadezinha e lembrei que poderia ouvir o refrão desse carnaval nos ouvidos e desisti ("vou te comer"!!!) e ainda ser agarrada e beijada a força. Justo eu que não facilito pra os homens que tô interessada, vou dar mole pra essas bocas sujas de Ondina. Nem pensar. Tô realmente velha. Ponto.
Em Pernambuco, eu me chateei muito, pois eu sempre espero muito dos outros e detesto quando as pessoas são agressivas comigo porque simplesmente não se colocam no lugar do outro. Tô um pouco de saco cheio de todo mundo e decidi que vou dar um tempo MESMO pra mim e pra os meus sentimentos.
Vou pensar mais em mim e me dar mais valor ainda, pois se até a presente data a galera diz que é pra eu abaixar a minha bola pra não afastar as pessoas parecendo ser antipática, de agora em diante, eu estarei em primeiríssimo lugar em meus planos e isso inclui Gui, é claro. Não vou ficar com receio de dizer não a quem quer que seja.
Eu pensei, pensei e cheguei a seguinte conclusão: não sou uma pessoa antipática nem metida a besta e quase todo mundo que eu conheço gosta muito de mim, pois uma das minhas melhores qualidades é ser justa/diplomática. Corro o risco de parecer metidinha, mas eu sou realmente tudo o que eu acho e de agora em diante vou ser muitíssimo melhor: olharei o mundo por cima de meus ombros sim e quem quiser que me acompanhe, pois eu irei muito mais longe do que já cheguei.
Eu sei que ao tomar uma decisão como essa irei atrair muito blablabla, mas eu tô a fim de demonstrar pra o mundo o que realmente penso sobre mim e se minha atitude incomodar algumas pessoas, problema delas. Tô pouco me lixando, tô mem aí. Sei que não será sem dor, mas viver é doloroso, principalmente quando se vive dentro do que se acredita.
Pra mim o que importa é que meu comportamneto seja congruente com o meu modo de ver a vida e que eu não magoe as pessoas, de resto quero ser feliz e me julgar o máximo, pois sei que sou.

Um comentário:

Belos e Malvados disse...

Fantasiada de mim mesma é ótimo, gostei. E você tem razão, chega uma hora que a gente tem que SER, sem pedir licença, nem desculpa, não é mesmo?