sábado, 9 de janeiro de 2010

São tantas coisas acontecendo que um post é pouco. Recomecei o trabalho com algumas novidades, uma ótima e duas péssimas. Primeiro a ótima: uma colega foi lotada lá pra vara e chegará dia 17. Uma péssima chega a ser lastimável.
No dia 16/12 foi aprovado no Senado Federal o PLS 611 que visa o congelamento salarial de TODO servidor público até 2016. O objetivo do projeto é economizar com pessoal para sobrar verbas para grandes investimentos. Agora é rezar pra que o projeto chegue na Câmara dos Deputados e lá fique ad infinitum, pois se foi aprovado da maneira que está, inviabilizará o nosso Plano de Cargo e Salário, que foi aprovado no final do ano a custo de uma grevezinha básica, como tudo neste país fofo.
Imaginaê vc voltar a trabalhar com uma notícia agradável com essa. É lasca, principalmente depois de ter sido feita uma mobilização nacional para aprovação do Plano de Cargo e Salário no STF...
Fica(m) a(s) questão(ões): será que o Brasil vai desmontar o seu serviço público a ponto de querer ter em seus quadros funcionais apenas funcionários desmotivados, apáticos e que não se "envolvem" com o serviço? Será que fazer concurso público será tão atraente como tem sido?
A iniciativa privada além de não pagar bem seu servidor não faz nada para garantir seus melhores funcionários em seus quadros. E estamos carecas de saber o motivo. Redução de custos. Demanda maior que a oferta. Mão-de-obra de sobra e qualificada para os cargos de ponta. Etc, etc., etc.
Estas pessoas vão ter a mesma motivação salarial de hoje pra se acabar de estudar pra passar no serviço público? Imagino que não.
Eu tô dizendo há tempos, mas ninguém me dá ouvidos, mas o serviço público que funciona no Brasil vai virar um grande SUS. Impraticável. E olhe que eu sou uma das mais fervorosas fãs da saúde pública, mas do jeito que tá não funciona e não valoriza nem funcionários nem usuários.
Ponto.
Assunto pra uma mesa de bar, pois só suporto pensar sobre isso embriagada, dissolvendo o meu superego e a minha confiança credibilidade nas leis do meu país.
Desde 1997 estou no serviço público e tenho percebido a qualidade dos servidores que têm ingressado. O nivel é na estratosfera. São cada vez mais jovens e com uma vontade inesgotável de "vestir a camisa" do seu órgão público. É engraçado, pois a cada dia que passa eu vejo o serviço público com a ótica de uma empresa privada.
A novidade também é que cada servidor será avaliado de acordo com a produtividade de seu local de trabalho. É a ISO 9000 chegando no serviço público, minha gente.
Imagina vc trabalhando como louco, pois a quantidade de serviço é desumana, com a equipe desfalcada (LER, licenças, férias, etc.), salário achatado, pessoas querendo que seu processo ande a todo custo... VC pensa: será que a iniciativa privada está em melhores condições? Que nada, mano, tá é pior, pois nem as garantias legais mínimas a galera tá recebendo...
O que fazer? Nem eu sei, mas uma coisa é certa: enquanto essa resposta não vem fico chorando minhas pitangas com as delícias de ser morar numa cidade como Salvador. A última? Mariene de Castro, assunto para o próximo post.

Nenhum comentário: