segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Hoje de manhã Gui me saiu com uma pérola:
"mamãe, não corta o meu pinto".
"Como assim, meu amor?"
"Vc não cortou minha unha? Mas não pode cortar o meu pinto"
"É claro que eu não vou cortar o seu pinto"
"Vc vai cortar a sua unha?"
"Não, a minha unha está pintada"
 "Não é pintada, mamãe, é pinto. Vc não vai cortar o meu pinto"
"Não, não vou. De onde vc tirou esta história?"
"E quem cortou o pinto de Júlia?"
"Júlia não tem pinto"
"Ela não tem mais nenhum. Quem cortou?"
"Júlia nasceu sem pinto"
"Não foi nada"
"Júlia é menina"
"Júlia tem pepequinha, mamãe tem pepequinha, eu tenho pinto, papai tem pinto".
Fim do papo.

É, depois as pessoas vêm me dizer que essa história de fantasias sexuais infantis são pirações da cabeça de Freud.

2 comentários:

lmssp disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


e tu nem me ligou ontem....

Lélia Maria disse...

enfim é teu filho... já fazendo estas conjecturas tão noveeeeenho.