sábado, 16 de janeiro de 2010

Ensaios, ensaios, festas, lavagens, pré carnaval, etc, etc, etc. Parece que aqui em Salvador só se pensa e vive em festa. Fico pensando em quando eu era uma duranga kid, só estudando como era terrível ouvir dizer que ia ter uma festa em tal lugar. E olhe que eu morava no interior da Bahia, uma cidade também cheia de festas. Na minha época, pois agora, humpf, só festa porcaria. Desculpaê galera do axé.
Quando estudava na UEFS, minha galera só pensava em beber, vivia enfiada em buteco. E eu junto, mas eu era a mais comportada das garotas, a exemplo pras namoradas, a estudiosa, a "mulher" do CDF brabão. Meu cabelo nem desarrumava. Ai, ai, e eu me divertia horrores, mesmo sendo tãããão certinha.
Que saudade do Barracão de Engenharia, das Casas do Forró, do Bafo de Baco, das festas no Fetecê (hahahaha). E os grupos de estudo antes da prova? Estudar era na época da faculdade em Feira. O resto é muito pouco perto do que já estudei naquela época. Um tempo maravilhoso que não volta.
Em Teixeira de Freitas, recem empossada no serviço público, eu fui morar com umas garotas também da vara e a farra era garantida. Nunca dancei tanto como em Texas City. E nós íamos nos lugares que as "mocinhas" da cidade nunca iam. Nunca rolava nada de tão exepcional assim, era só mito. Eu amei aquele lugar, pois ainda dávamos uma esticadinha em Porto Seguro quando a cidade estava muito parada. Nessa época eu estudei horrores pra o concurso da Receita Federal.
Depois de ter vivido 26 anos em cidades do interior, eu posso garantir que nem só de Salvador e seus ensaios e lavagens vive o baiano festeiro. E posso garantir também que baiano também trabalha, estuda, se dá bem no que faz, cria filhos engajados. Eu sou um exemplo de uma baiana típica. Eu mereci.

Nenhum comentário: