quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ontem foi um dia abençoado.
Estava muito nervosa com a apresentação do seminário e me senti uma farsa lá na frente do auditório - com ar condicionado e tudo! -falando sobre um assunto que eu não dominava e tentando mostrar um conhecimento que eu não tinha e nem adquiri. Saí da apresentação, que foi boa, me sentindo péssima. Mas, acabô! É tudo o que eu posso falar. Ao menos é um estímulo aversivo a menos. Amanhã tem uma prova de Terápicas I. É Psicanálise ao menos.
Ontem eu percebi uma coisa: palhacinho está gostando de uma colega da faculdade (muito linda) e parece que ela tá gostando dele também. A coisa chata nesta história é que ele está fazendo com ela o mesmo que fazia comigo, pois ela está arrastando correntes S. Lázaro a fora e é visível. Eu de fora estou notando toda a trama. Que bom que já esqueci esse cara, pois agora eu estou observando que este é o jeito dele gostar: colocar a criatura pra morrer, definhar de amor por ele e cair fora, deixar a coitada (se) arrastando por aí.
Enfim, vi, constatei e não senti nada. Semana passada eu (ainda) estava me lamentando porque ela e não eu. Hoje eu agradeço por já ter saído desse esquema. Quero gostar de quem me queira, quando nada inconscientemente. Essa maneira de gostar fazendo o outro penar não é a minha cara. Eu devia estar muito na merda pra ter caído nesse engodo.
Mas eu já sei o motivo de ter gostado tanto dele: é que eu me via dentro dos olhos dele e isso é primordial pra eu gostar do outro. Sempre foi assim em todas as minha srelações anteriores. Até quando eu me apaixonei por Geraldo foi assim... ele olhava o meu orkut, sabia tudo de mim, me obervava de longe. Credo!!!! Eu atraio é gente maluca..............................Eca!!!!!!!!!!!
Outra coisa boa: comprei um macacão num brechó on line e eu amei!!! Muito a minha cara, muito lindo. Meu dia acabou muito bem.

Um comentário:

Nite disse...

já salvei nos favoritos e vou seguir, n é twitter, mas...

depois me conta a história das correntes p ver se entendi direito!!! mas tu só ia saber q era assim, vivendo, neam?

bjim, nite