sábado, 17 de outubro de 2009

Sabe aquelas pessoas que têm a capacidade de dar um clique nos problemas? Ou aquelas que bebem, cheram pó, se cortam, somem no mundo ou simplesmente surtam? Pois é. Apesar de Marcus Vinícius me questionar se eu tenho jeito pra clínica por não achar que eu saiba suportar o que vem do outro, eu digo que entendo essas pessoas direitinho.
Vou mais fundo: apesar de saber que o que vou escrever pode ser mal interpretado, eu morro de inveja de quem consegue. De que é bem sucedido nessa possibilidade de, digamos, sublimação de problemas.
Não acho que será assim que eu resolverei meus problemas, mas entendo perfeitamente que é minimamente necessário ser um sujeito ancorado psiquicamente pra poder dar conta do que acontece no mundo. Ou ser fundamentalmente feliz, sequelado, de alto astral, de bem com a vida, feliz de nascimento e tudo o que essa zorra significa. O que não dá é pra ver sua vida, ser normal, suportar o que vem do outro e ainda conseguir ser vc em algum lugar sem sofrer horrores com isso.
Porra! Viver é foda, com ph de farmácia mesmo! Minha vida parece que está em um furacão, pois liquidificador é pouco pra o que tá acontecendo. Eu sinceramente já tô me perguntando onde foi que eu errei, onde eu perdi a mão, pois tá foda. Quando eu penso que a coisa vai andar, enfim, desanda federal. Tá foda. Não tenho nem palavras pra expressar como a coisa tá mexida. Tá foda.
Lacan diz que quem pergunta sabe a resposta, né? Pois eu tenho me questionado muito, mas lá no fundo eu sei bem a resposta e mesmo que me magoe muito, eu tenho que colocar em prática. Eu sempre penso mais nos outros (todos os outros) que em mim, mas a partir de hoje, eu vou pensar mais em mim e não vou mais demonstrar tanto amor, dedicação e exclusividade pra ninguém. Nem pra Gui. Vou ser outra pessoa. Sabe aquela Lila que diz que ama, corre atrás, não tem olhos pra ninguém, só pra quem tá do lado? Essa Lila vai definhar até morrer. Não queria ser assim não, mas tá passado da hora de eu me posicionar em minha vida como quem tem o controle. Chega de dar aos outros, inclusive pra Gui, munição contra mim mesma.
É Gui, vc tá fazendo sua mamãe muito infeliz. Nunca pensei que tão cedo em minha vida eu iria entender o que as mães sofrem com seus filhos. Mas é de cedo que se aprende pra se ter a chance de modelar o comportamento, né? (acertei, behavioristas de plantão???).
Vou fazer diferente. Não sei como ou a que custo, mas alguma coisa enho que fazer, pois tá beirando o insuportável a falta de linearidade da minha vida. Não conheço nenhum gráfico que eu possa tomar como parâmetro, mas eu quero a minha vida de volta!

P.S.: será que existe mal olhado, mandinga, vidas passadas, espírito obssessor e coisas do gênero? Já tô realmente acreditando até em fantasmas da meia-noite.

Um comentário:

Thais disse...

Oi lila,
meu comentario nao vai ter nada a ver com seu post, li em um post há um tempo atrás que vc fez terapia ortomolecular... queria saber o que vc achou, se vc ainda segue, se recomenda... meu objetivo eh emagrecer (pouco, cerca de 4kg) mas principlamente e acima de tudo melhorar qualidade de vida, disposição auto estima essas coisas!!! se vc puder me responder vou ficar extremamente grata!!!
bjs
ps.: seu blog eh muito interessante!!! e olhe que eu nao sou fã de blog!