quinta-feira, 3 de setembro de 2009

...

“Quando morre uma pessoa que é próxima a você, nas primeiras semanas depois da morte essa pessoa fica tão distante de você quanto é possível se estar; é só com o passar dos anos que ela se torna mais próxima, e aí chega um momento em que você está quase vivendo com ela. Foi o que aconteceu comigo."

Li no blog d'O Homem Sincero e retrata todo o meu sentimento desta semana. Domingo faz cinco anos que meu bebê morreu. É como se após anos de entendimento pacífico, meu luto estivesse sendo feito à minha revelia.
No words.

Um comentário:

Lélia Maria disse...

é, minha cara... é uma ausência que eu não conheço e peço a DEUS pra NUNCA conhecer. força!