segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Conversando ....

de.sen.can.ta.men.to s.m. 1. decepção 2. quebra do encantamento.

Se tem coisas que a análise ajuda é assumir uma postura ativa na vida. Explico. Esse final de semana somado a outros quinze dias atrás a única coisa que tenho feito é farrear (farrar como um colega costuma dizer). Mas chega uma hora que a pessoa por mais que goste de viver imersa no teor etílico que a boemia pode proporcionar, uma hora o pano cai e a vida precisa precisa seguir seu curso. Beber e fazer farra pra não pensar é o fim.
Conversando com Le este final de semana, ela escancarou em minha fuça uma coisa que eu já tinha percebido, mas não tnha feito sentido ainda. Ela disse que nunca me viu tão... "tão deseperdada?", "não, a palavra é outra... desencantada!". Difícil ouvir isso de sua própria irmã, uma pessoa que vc só quer ser referência do bem. Mais difícil ainda é não saber, não poder se explicar, pois nem você sabe a resposta, por mais óbvio que pareça.
Eu que sempre me vangloriei de ser uma pessoa bem humorada, pra frente e de bem com a vida. O que me deixa mais puta com essa situação é que se eu não falar ninguém que me cerca percebe o quanto estou triste, pra baixo e desencantada com tudo. Calma, não vou me matar.
É pior, pois sei que tá tudo uma b*, mas já não consigo ficar me lamentando (exceto aqui, hehehe) da vida. Eu chego nos lugares e me comporto como se tudo estivesse do mesmo jeito. Eu acho que aí está a posição ativa que a análise me trouxe, pois apesar de meu desencanto generalizado, eu não me permito ficar chorando pelos cantos, pois não adianta nada essa atitude.
Eu me lembro quando eu me separei e não tinha forças nem pra levantar da cama, mas precisava minimamente cuidar de Gui. Hoje eu não sei como eu consegui cuidar do meu filho, estudar 6 matérias, trabalhar, atender no serviço, estagiar e não surtar.
A situação era outra, pois estava enlutada e agora é um sentimento de vazio, sem significante. É como uma onda enorme me engolindo e eu sem forças pra lutar.
Acho que vou tomar um café e ler uma poesia.

2 comentários:

Lélia Maria disse...

vamos por partes... 1) não é feio ou pequeno se sentir desencantada, desesperançosa, esses estados de espírito já me acompanharam muito, e eu estou vivinha da silva (alias, vivinha sampaio rsrsrs). 2) desculpa se eu fui muito crua, é que a gente não precisa de meias palavras para conversar (eu acho). 3) o papel de coitadinha não cobina nem de longe contigo. GRAÇASADEUS! 4) loca o filme "simplesmente feliz", injeta nas veias, memoriza os diálogos e posturas da personagem principal e 5) enterra amélie poulain e derivados, eles são apenas personagens, DEUSNOSLIVREEGUARDE de pessoas tão encantadas, felizes e esperançosas o tempo inteiro. é isso! amo-te!

Liliam disse...

fiz um blog tb!!!

agora sim podemos fofocachion...
beijos e n sou tão "avuada" assim, só um pouco bizonha! (ver TEU post anterior) mas eu amei!